ESTADO DO RIO GANHA NOVO OBSERVATÓRIO DE TURISMO

FC&VB-RJ PARTICIPA DE EVENTO COM SUBSECRETÁRIO DE TURISMO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
23 de abril de 2021
SEMANA NACIONAL DE LIMPEZA DOS MARES CHEGA A CABO FRIO
30 de abril de 2021
Compartilhe

Em meio a pandemia e tantas notícias tristes, surge uma boa nova. A pedido da Alerj, a Fundação Centro Estadual de Estatísticas, Pesquisas e Formação de Servidores Públicos do Estado do Rio (Ceperj) acaba de criar o Observatório Fluminense de Turismo que irá mapear os pontos fortes e fracos do setor de turismo no estado.


Além de deixar o setor ainda mais profissional, a novidade irá ajudar a gerar dados para o planejamento das ações e atividades no setor.
“Essa iniciativa do Ceperj é primordial para o setor do turismo fluminense. Não se desenvolve o turismo sem dados, fatos e números. É preciso comparar o hoje com o amanhã, e para planejar o amanhã precisamos dos dados do passado e do que está acontecendo no hoje”, afirma Marco Navega, Presidente da Federação e Conventions & Visitors Bureaux do Rio de Janeiro.

O novo Observatório Fluminense de Turismo chega organizando um perfil econômico do turista que visita o estado, traçando os seus hábitos de viagem, a partir de dados de diversas organizações. Os primeiros levantamentos já se encontram disponíveis e podem ser utilizados pelos gestores da área de turismo.

Números valiosos

O Rio continua sendo o estado que mais recebe turistas no Brasil. Apesar do impacto da pandemia no ano passado, 31 mil estrangeiros vieram ao país, sendo 3 mil ao Rio de Janeiro – o que representa 10% de todas as entradas internacionais no país.


“Em outros estados brasileiros já existem esses laboratórios de turismo. Aqui, nós já tivemos um na Universidade Federal Fluminense, porém, ele não estava sendo muito bem utilizado. Agora, temos essa boa novidade. Estou torcendo para que ele dê muito certo! Será benéfico ao setor de turismo do estado”, explica Navega.

Em seus números, o observatório também detalhou o impacto da Covid-19 no setor. Em agosto de 2020, por exemplo, houve uma queda de 33,50% das atividades turísticas no estado, em relação a agosto de 2019. Na comparação mensal, o pior mês foi abril de 2020, com uma queda de 65,8% em relação ao ano anterior.

Os comentários estão encerrados.

Translate