EMPRESÁRIOS E ENTIDADES DE CABO FRIO SE UNEM EM MOVIMENTO CONTRA A CPMF

Dispensa de visto entra em vigor para Rio 2016
30 de dezembro de 2015
FESTIVAL DE VERÃO 2016 DE NOVA FRIBURGO
25 de janeiro de 2016
Compartilhe

Empresários de diversos segmentos de Cabo Frio se reuniram hoje de manhã no Iate Clube Costa Azul, no bairro Gamboa, para dar o pontapé inicial a um grande movimento de repúdio à volta da CPMF. Entidades como Associação Comercial, Industrial e Turística de Cabo Frio (Acia); Conventions & Visitors Bureau; Associação de Hotéis e Turismo; Associação Comercial e Industrial da Rua dos Biquinis e Associação de Profissionais de Contabilidade de Cabo Frio, Arraial do Cabo e Armação dos Búzios (APCCAA) já manifestaram apoio ao movimento e agora vão em busca das Federações com o objetivo de torná-lo estadual e nacional.

– Na verdade, nós, empresários, somos apenas o fiel depositário, digamos assim, dessa enorme carga tributária. Mas no fim das contas quem acaba sendo penalizado é o consumidor porque chega uma hora que temos que repassar isso pra eles senão fechamos as portas. No setor de móveis planejados, por exemplo, 40% do valor é de impostos. No setor de perfumaria é de 70%. De bebidas passa dos 60%. E agora, com a criação da CPMF a situação vai ficar ainda pior – comentou Ricardo Guadagnin, vice-presidente da Associação Comercial de Cabo Frio. Já os empresários Adelício José dos Santos e Hugo Cecílio lembraram que nem todos os segmentos podem repassar a carga tributária ao consumidor. “Se aumentarmos o preço dos nossos produtos cada vez que o governo aumenta os imposto vamos deixar de vender porque no nosso ramo existe muita concorrência, e acabomos sendo obrigados a reduzir nossa margem de lucro” – alertaram os dois.

O presidente da Acia, Eduardo Rosa de Andrade, chamou a atenção para os prejuízos que a enorme carga tributária tem causado, principalmente, ao pequeno empresário. “Muitos não fecharam as portas ainda porque, simplesmente, não têm condições de bancar com os custos da rescisão dos funcionários”. E o presidente da APCCAA, Ramires Rodrigues, completou afirmando que se for mesmo aprovada a volta da CPMF, a situação do pequeno empresário tende a ficar ainda pior: “ele pagará, no mímino, por ano, cerca de R$ 5 mil só de CPMF”.

Esta foi a terceira reunião realizada pelos empresários. Todos os encontros são abertos à participação da categoria. A próxima será realizada no dia 19 de fevereiro, às 9 horas, no Iate Clube Costa Azul.

– Mas desta vez vamos tentar trazer outras entidades. Já conversei com os Conventions e outras cidades da região e eles manifestaram interesse em se unir a nós nesta luta. Também vamos buscar a Federação dos Conventions, a Acia vai trazer a Facerj, a Fecomércio também será convidada assim como a Firjan e várias outras Federações representativas. Precisamos transformar este movimento em algo maior porque não é um problema só nosso: é todos os brasileiros – enfatizou Maria Inês Oliveros, presidente do Conventions & Visitors Bureau Cabo Frio.

E como a votação da CPMF é algo que passa pela Câmara dos Deputados, os empresários também decidiram que na próxima reunião, do dia 19 de fevereiro, serão convidados alguns deputados federais do Estado e da Região dos Lagos, como Marcos Mendes (PMDB/Cabo Frio), além dos deputados estaduais Janio Mendes (PDT/Cabo Frio) e Márcia Jeovani (PR/Araruama), para que cobrem de seus partidos posicionamento contrário à criação da CPMF.

Reuniao Cabo Frio CVB

Reunião Cabo Frio CVB e Entidades

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate