CAROS DIRIGENTES E AMIGOS DA REDE BRASILEIRA DE CONVENTION & VISITORS BUREAUX

“Room Tax”, culturas e modernidades: uma visão geral sobre Room Tax.
20 de junho de 2015
CARTA DE APOIO À REPRESENTAÇÃO DA CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CONVENTION & VISITORS BUREAUX – CBCVB
21 de junho de 2015

A evolução da sociedade é dinâmica e por isso os conceitos legais também devem ser dinâmicos.

A nossa legislação tributária que fora feita há quase 50 anos atrás precisa evoluir. Há cinquenta anos, estávamos em plena revolução militar. O turismo era absolutamente incipiente. O brasileiro vivia em média 50 anos e não tínhamos a EMBRATUR e nenhum C&VB. O que era válido para aquela época nem sempre é válido e justo para hoje.

Muita gente nova tem chegado ao processo de turismo e aos C&VBx  e ainda desconhecem como chegamos até aqui. Lembro-me de que quando iniciei no processo de C&VB, isso lá pelos idos de 1995, os C&VBx tinham ainda muitas dificuldades e poucos sabiam sobre essa ferramenta extraordinária. Quando fundei o Ribeirão Preto e Região Convention & Visitors Bureau em 1996, foi uma dificuldade enorme, pois ninguém aceitava esse nome “americanizado e misturado com o francês”. Até o Cartório de Registro teve muita dificuldade. Deveria ser Associação ou Fundação? Entendi, como advogado, que a constituição jurídica de uma associação seria mais adequada e mais “a cara” do empresariado.  Não é a forma jurídica que determina se aquela entidade vai ser mais respeitada, vai ter mais credibilidade ou não, e sim a gestão. Enfim, já na condição de Presidente  optei por associação e tive que lutar muito para convencer os empresários e o poder público local sobre o papel importantíssimo do turismo na vida de cada um de nós e o que, aquela poderosa ferramenta, o Convention,  poderia auxiliar.

No final da década de 90, veio a intenção de se criar um processo republicano com a junção de todos os C&VBx do Brasil. E lá fui eu, com a adesão ao processo e a arcar com R$ 300,00 para fundar o FBC&VB (Fórum Brasileiro de Convention & Visitors Bureaux). E a coisa continuou a crescer. Em 2003, com a criação do Ministério do Turismo, fomos chamados (o Fórum BC&VB) pelo Ministro Walfrido, do turismo e Eduardo Sanovicz da Embratur  para assumir as ações de promoção internacional junto com a EMBRATUR. Antes porém precisaríamos “arrumar a casa” do Fórum Brasileiro de C&VBx, pois haviam pendências contábeis e de um convênio feito com o SEBRAE, pela elaboração do 1º. Dimensionamento Econômico da Indústria de Eventos no Brasil. Precisávamos também alterar o nome “Fórum” para Federação e eu assumi como Vice-Presidente Jurídico da Federação Brasileira de C&VBx, para resolver aquelas pendências e auxiliar nas mudanças estatutárias.

A Rede Brasileira de C&VBx cresceu e subiu como um foguete. Em menos de 5 anos já tínhamos quase 80 C&VBx. Foi então que em 2005, estrategicamente, criamos a Confederação Brasileira de C&VBx e as Federações Estaduais, em um processo absolutamente legal e democrático, que foi aprovado por todos os C&VBx existentes na época. Antes porém, em 2004, em uma memorável assembleia na Secretaria de Desenvolvimento do Estado de São Paulo, sob o comando do Marco Antônio Castelo Branco,  decidimos unanimemente, criar a Federação de C&VBx do Estado de São Paulo, tão logo a Confederação Brasileira fosse instituída, o que acabou acontecendo em abril de 2005 na cidade de Foz do Iguaçu. De forma que, em 9 de junho de 2005, na cidade de Dourado, em consonância com o deliberado na assembleia de 2004,  eu e mais alguns visionários CVBx paulistas, criamos a Federação de C&VB do Estado de São Paulo, portanto há 10 anos. Éramos 10 C&VBx e hoje somos 20 associados no estado.

Pois bem, atualmente tenho várias atividades profissionais. Sou advogado militante, construtor, consultor, organizador de eventos, presidente do Ribeirão Preto Convention & Visitors Bureau, da Federação de C&VBx do Estado de São Paulo e eleito por unanimidade em Assembleia Geral Extraordinária aos 14 de janeiro de 2014, na cidade de Belo Horizonte,  como Presidente da Confederação Brasileira de C&VBx. Destaco aqui, que nesta assembleia de Belo Horizonte, a grande maioria dos C&VBx brasileiros estavam legalmente representados por suas Federações Estaduais.

A missão mais difícil no momento é: identificar todos os problemas da entidade; retomar as ações da Confederação e convencer a toda a rede de que tudo passa e o que fica são as boas ações e as boas intenções. As ruins, se perdem pelo caminho. Os dirigentes passam e a entidade fica.

Para você que está chegando agora e com toda a energia, seja bem vindo e venha somar com essa marca internacional. Venha somar com os princípios éticos que comungamos.

Precisamos lutar pelo que é nosso e que ajudamos a construir e que um dia você poderá ser o dirigente ou colaborador.

A sustentabilidade dos C&VBx é uma de nossas bandeiras onde a regulamentação da room tax é apenas uma delas. Muitos países já a utilizam com resultados extraordinários para o destino. Por que não rever os velhos conceitos? Por que não adequar a legislação vigente às necessidades atuais?  Quem faz o nosso país somos nós. Quem faz o nosso futuro, é você!!

Abraços

Márcio Santiago de Oliveira

MARCIO.SANTIAGO

Presidente da CBCVB ,Presidente da FCVB-SP, Presidente do Ribeirão Preto CVB, Secretário do Conselho Estadual de Turismo de SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate